Sala de imprensa Artigos

Ver artigos   

Abril/2016 - Toni Sando

Somos imortais

Discurso proferido na ocasião do evento de posse da nova diretoria e membros da Academia Brasileira de Eventos e Turismo, no dia 25/01/2016

Nos últimos dias fiquei pensando sobre o que significa ser imortal, sobre o conceito de imortalidade.

Cheguei à conclusão de que a imortalidade se resume a ser lembrado, a não ser esquecido.

Queremos todos de alguma forma dar continuidade a nós mesmos após a morte, e a única maneira de fazer isso é através da memória dos outros.

Ser memorável, ser digno de memória, digno de ser lembrado, são resultado de como vivemos nossas vidas.

SER IMORTAL É FRUTO DO COMO LIDAMOS COM A NOSSA MORTALIDADE.

• COMO estamos vivendo nossas vidas?
• ONDE estamos investindo o curto tempo que temos por aqui?
• QUAL a mensagem que vamos deixar como legado?
• QUAL o legado que vamos deixar como mensagem?

Há pessoas memoráveis. A cadeira que ocupo na Academia Brasileira de Eventos e Turismo foi ocupada pelo "homem das coisas impossíveis". O imortal Lemos Britto se imortalizou pela sua inquietude e capacidade de realização, ele foi uma daquelas raras pessoas que são sonhadoras e realizadoras ao mesmo tempo que carregam consigo a cabeça idealista e os braços operacionais de "fazer acontecer".

Certa vez ele se definiu como alguém que, ao nascer, ganhou um passaporte que dava direito a fazer tudo que quisesse, mas alertou que era preciso trabalhar dia e noite e colaborar com as outras pessoas, senão esse passaporte perderia a validade.

Há frases que nos definem e que nos imortalizam de alguma forma.

Meu finado pai Oswaldo, amadurecido pelas vivências, entendendo melhor como a vida funcionava, sempre usava uma mesma frase para se posicionar em relação a algumas situações. Ele dizia em tom jocoso: "não tem necessidade" .

Em alguns momentos lembro-me do meu pai, imortalizado na minha memória, dizendo "não tem necessidade" como uma mensagem de que podemos viver a vida com leveza.

Qual a mensagem que nós deixaremos? Por qual frase seremos lembrados?

Acho que uma das frases que mais falo é que "as coisas acontecem com quem acontece". Acontecer é um conceito interessante .

- O que "acontecemos" na vida?

Lemos Britto fez muitas coisas acontecerem, da Augusta Chic aos shows de Hebe Camargo, Chico Anísio e muitas Feiras e Exposições.

Quando pensei em qual nome podemos dar para aqueles que fazem coisas acontecer cheguei no termo "acontecedor".

Meu pai era um acontecedor, foi um operário, mestre ferramenteiro, trabalhava criando moldes de metal para injetoras de plástico em indústrias de brinquedo.

Eu, de certa maneira, segui os passos do meu pai, me considero um operário, meu ofício é trabalhar para fazer coisas acontecerem

Não sou um empreendedor, sou um executivo, um administrador de formação.

Comecei minha vida profissional como office boy, quase estudei artes plásticas, mas acabei ingressando no mercado financeiro, no mundo do marketing, entrei para a hotelaria e depois, na presidência executiva do nosso São Paulo Convention & Visitors Bureau. Enfim, entrei para o terceiro setor e entrei para o universo dos eventos.

Existem pessoas que são criadoras de futuros. Eu, como executivo, sou uma espécie de administrador de presentes, uma ponte entre o ideal e a realidade.

Mas, como dizia o Britto, é preciso trabalhar dia e noite e colaborar com as pessoas para realizar as coisas.

Não fiz nem faço nada sozinho.

A vida é feita de relações, de convivência, de encontros, o que tem muito a ver com a indústria dos eventos, de viagens e de turismo,

Facilitamos encontros, criamos espaços de convivência, promovemos relações, lidamos com vidas, instigamos, estimulamos e incentivamos movimentos de vida.

Desde minha época de office boy, sou movido por uma sensação de incompletude que me levou a trabalhar sem pressa e sem pausas para realizar coisas.

Não consigo expressar com palavras a honra que sinto de estar ingressando na Academia Brasileira de Eventos e Turismo, de realizadores, mas posso garantir que minhas ações honrarão a cadeira que estou a ocupar.

Ainda movido pela sensação de que não realizei tudo aquilo que quero fazer acontecer, sinto que hoje, aos 54 anos, estou apenas começando.

A vida é um recurso precioso, não pode ser usada em vão.

• COMO usamos nossas vidas?
• COM quem usamos nossas vidas?
• PRA quem usamos nossas vidas?
• NO que usamos nossas vidas?

Perguntas que devemos nos fazer todos os dias pela manhã e responder para nós mesmos todas as noites.

No fim, o que nos imortaliza são as pessoas que nós tocamos e que nos tocam ao longo das nossas vidas.

Somos mortais, mas podemos nos imortalizar na memória daqueles com quem compartilhamos a vida.

Fazemos todos parte de um todo, precisamos incorporar a responsabilidade que temos com aqueles que dependem de nós e com aqueles de quem dependemos.

Interdependência é a palavra. Somos interdependentes.

Que a forma como lidamos com nossa interdependência nos imortalize.

Já que as coisas acontecem com quem acontece, aconteçamos juntos enquanto temos tempo para acontecer.

E a família e os amigos são a melhor parte do todo.


  • Toni Sando

    Toni Sando

    Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau

*Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau, Toni Sando tem em seu currículo graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), cursou pós-graduação em marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), e tem MBA em gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Seu histórico profissional inclui destacadas atuações nas áreas de operações, marketing, produtos e negócios no mercado financeiro (bancos Noroeste, Nacional e Unibanco). Durante sete anos dedicou-se à área de marketing da Accor Hotels na América do Sul.

Busca Agenda

+ busca avançada Buscar   
  Relatório 2016
  ÍNDICE DE PREÇOS - TRIVAGO
Personal Guides

Vídeos

7388755

Podcast com todos os eventos acontecendo semanalmente

  SPCVB 33 anos

Twitter