Sala de imprensa Artigos

Ver artigos   

Julho/2015 - Toni Sando

Inovar é enxergar e entender o potencial do turismo

Cri.se: Momento crítico ou decisivo; Situação aflitiva; Conjuntura perigosa, situação anormal e grave; Momento grave, decisivo. Perceba como o próprio dicionário define crise e não deixa dúvidas que se trata de momentos extremos e arriscados. Entretanto, grande parte do pessimismo pode estar nos olhos de quem vê.

Todos os setores da economia no País passam, hoje, por momentos delicados, de incertezas e riscos. São números que vão às alturas; taxa de juros que periga alcançar dois dígitos, com o objetivo de cumprir o teto da inflação até 2016; economia que recua 0,2% no primeiro trimestre do ano e que só não recuou mais devido a boa atuação da agropecuária; setores de energia e água em momentos nunca vistos antes; e a recessão, que ao mesmo tempo que bate à porta do brasileiro, já influencia em seu comportamento de consumo, que prefere segurar a investir.

I.no.var: Fazer inovações, introduzir novidades; Produzir algo novo, encontrar novo processo, renovar. Muitos pensam que inovar é criar, mas, mais uma vez, o dicionário ajuda a compreender de outra forma. Inovar é pensar fora da caixa. São mudanças de processos ou de comportamento, entre outras ações, que trazem uma nova visão sobre algo ou alguém, gerando novos resultados.

Crise e inovação são conceitos que podem, e devem, andar lado a lado. A crise é a oportunidade perfeita para se fazer algo novo e se destacar. É o momento de trazer soluções para desafios reais, e não para necessidades inventadas. Neste ponto que o turismo no Estado de São Paulo pode ser o que a agropecuária é para o País hoje. E ir além.

A economia do Estado de São Paulo corresponde a 33,5% do PIB nacional, e, recentemente, foi eleito como o mais competitivo do País, de acordo com a pesquisa "Brazil Competitiveness Profile", feita pela FGV Projetos e pelo britânico Financial Times. É em São Paulo que se encontram as principais universidades e há um grande investimento em pesquisa, desenvolvimento e, o mais importante, inovação.

São Paulo tem as ferramentas necessárias para enfrentar a crise e desenvolver o turismo que, independente do panorama geral da economia, pode crescer tanto em tempos difíceis quanto favoráveis. Seja pelo turismo do segmento MICE, de negócios, eventos, congressos, encontros e incentivos, muito forte na capital, seja pelos 400km de praia, 70 estâncias e 140 municípios de interesse turístico, São Paulo, que é porta de entrada para maioria dos turistas estrangeiros, possui uma infraestrutura completa e competitiva, em constante evolução.

Cabe aos empresários e aos representantes de entidades da cadeia produtiva do turismo, eventos e viagens se organizarem para motivar seus colaboradores e associados. Valorizar as propostas e sugestões e colocá-las em prática o mais rápido possível, porque crise é oportunidade de quem sai na frente, sem ficar refém de verbas públicas ou esperando planos de governo.

Inovar é enxergar e entender todo o potencial do turismo. E até onde ele pode levar a cidade, estado e país.


  • Toni Sando

    Toni Sando

    Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau

*Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau, Toni Sando tem em seu currículo graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), cursou pós-graduação em marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), e tem MBA em gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Seu histórico profissional inclui destacadas atuações nas áreas de operações, marketing, produtos e negócios no mercado financeiro (bancos Noroeste, Nacional e Unibanco). Durante sete anos dedicou-se à área de marketing da Accor Hotels na América do Sul.

Busca Agenda

+ busca avançada Buscar   
  Relatório 2016
  ÍNDICE DE PREÇOS - TRIVAGO
Personal Guides

Vídeos

7388755

Podcast com todos os eventos acontecendo semanalmente

  SPCVB 33 anos

Twitter